Você sabe como funciona um sistema de marketing multinível?

Muitos gestores ainda olham com desconfiança para um sistema de marketing multinível, seja por...

Confira 5 tipos de técnicas eficaz para vendas diretas

O conceito de vendas diretas se relaciona à disponibilização de uma constituição mais flexível aos variados modelos de comércio. Como o próprio termo sugere, a venda é praticada diretamente, isto é, do fornecedor ao consumidor, sem intermediários.

Por meio de uma forma de contato mais pessoal, o profissional de vendas pode alcançar ótimos resultados ao aplicar as diretrizes essenciais do comércio, como qualidade de atendimento e priorização do bem-estar do cliente.

Portanto, no conteúdo de hoje, apresentamos as técnicas mais eficazes para aprimorar o seu trabalho com vendas diretas. Boa leitura!

1. Otimizar suas vendas diretas

O vendedor que trabalha com vendas diretas pode estabelecer uma rotina comercial de acordo com a disponibilidade de tempo que aplica à atividade. Sendo assim, existem aqueles que trabalham em pontos móveis de atendimento e até mesmo aqueles que visitam clientes em suas residências.

O fato é que, seja qual for o tipo de venda direta que você exerce, é preciso otimizá-la. Por isso, considere:

  • ter amostras dos produtos sempre em mãos;
  • permitir que o cliente experimente (caso o seu produto possibilite isso);
  • oferecer folhetos ou cartões com informações para contato (WhatsApp, redes sociais etc.);
  • oferecer catálogos;
  • manter a organização dos demonstrativos;
  • ter conhecimento avançado sobre o produto que comercializa, a fim de sanar todas as dúvidas de seus clientes.

2. Fortalecer o relacionamento com o cliente

Qualquer ramo que lida com vendas e atendimento direto com o público deve priorizar o relacionamento com o consumidor.

No entanto, essa relação pode ser melhor trabalhada nas vendas diretas, uma vez que é muito comum que os clientes eventuais se tornem compradores habituais. Sendo assim, procure se aproximar e manter contato semanal para garantir vendas futuras.

3. Manter os clientes atualizados

Na era da informação digital é imprescindível que seus clientes se mantenham atualizados sobre todas as novidades. Todavia, é preciso entender que é sua responsabilidade nutrir o consumidor com novos conhecimentos.

Para isso, existem as redes sociais que podem ser utilizadas não apenas como um canal de atendimento para ampliar sua rede de contatos, como também como uma ótima fonte de disponibilização de informações.

Alerte seus clientes sobre brindes e lançamentos de produtos do novo catálogo. Essa é uma ótima estratégia para fidelizá-los!

4. Ser acessível

Entre as boas práticas para redes sociais, destaca-se a necessidade de que o profissional de vendas esteja sempre acessível.

Portanto, faça o possível para investir em meios capazes de facilitar que seus clientes o encontrem. Mantenha-se disponível nas redes sociais, forneça um número de WhatsApp apenas para contatos profissionais e disponibilize um período específico do dia para que os consumidores possam entrar em contato com você.

5. Oferecer um atendimento diferenciado

Para finalizarmos, vale ressaltar a importância do atendimento de qualidade como diferencial competitivo nas vendas diretas.

Muitas empresas e profissionais autônomos têm investido em oferecer um atendimento diferenciado para atrair e conquistar novos clientes. Para se ter uma ideia, até as grandes multinacionais têm priorizado a comunicação com os usuários nas mídias digitais, já que elas são uma extensão do atendimento tradicional.

Como você pôde conferir neste artigo, otimizar as vendas diretas é uma tarefa importante e que só depende do próprio profissional. Lembre-se de que o uso de inovações tecnológicas e técnicas de comunicação podem aumentar os resultados e fidelizar clientes.

Gostou do artigo? Então, curta a nossa página no Facebook e não perca mais nenhuma novidade!

Saiba Mais

Os 5 indicadores de desempenho de gestão que você deve conhecer

Indicadores de desempenho de gestão, de maneira simplificada, consistem em métricas que analisam e quantificam uma determinada execução da empresa ou de um profissional de vendas, de modo a proporcionar informações úteis para melhorar as estratégias e a tomada de decisões.

Em outras palavras, um indicador é uma ferramenta para mensurar algo útil e relevante que ajudará no planejamento de negócios, seja apontando falhas na gestão e gargalos de produção, seja mostrando pontos e acertos que podem ser melhorados ainda mais.

Neste conteúdo, mostraremos os principais indicadores de desempenho de gestão que você deve conhecer para aumentar as vendas. Continue a leitura do artigo para entender tudo sobre o assunto!

Por que utilizar indicadores de desempenho de gestão? 

  • proporcionam informações precisas para a tomada de decisão do gestor;
  • disponibilizam dados importantes sobre cada etapa do funil de vendas e dos processos cotidianos;
  • implementam mais eficiência e eficácia aos processos;
  • permitem que seja criado um dashboard para disponibilização organizada e panorâmica das informações;
  • promovem agilidade, transparência e melhor compreensão à empresa.

Como funcionam os indicadores de desempenho de gestão?

  • índice – O número deve representar o desempenho atingido em um determinado processo;
  • meta – Trata-se do objetivo, em formato de valor, que deve ser atingido dentro de um período predeterminado;
  • tolerância – Caso a meta não seja alcançada, deve existir um limite de tolerância para apontar o nível de gravidade do resultado. Qualquer valor fora desse limite indica que o desenvolvimento do processo é crítico e medidas precisam ser tomadas.

Quais são os 5 indicadores de desempenho de gestão mais utilizados pelo setor de vendas?

1. Indicador de lucratividade

Acompanhar o faturamento é algo comum entre empresários e profissionais que lidam diretamente com vendas, principalmente quando, apesar dos resultados positivos, o dinheiro não sobra. É sinal de que algo está errado, concorda?

Afinal, se o faturamento foi positivo, mas a empresa não tem recurso disponível, significa que os custos estão elevados e é preciso tomar providências. Uma ótima forma de fazer a análise de lucratividade é comparando seu índice com a média apresentada por outras empresas no mercado em que você atua.

2. Valor do ticket-médio

Certamente, um dos indicadores de desempenho de gestão mais úteis para vendedores, profissionais de marketing e gestores empresariais, pois permite o entendimento a respeito da dinâmica de vendas, podendo ser acompanhado de três maneiras:

  • por vendedor;
  • por cliente;
  • por venda.

O seu objetivo é analisar o desempenho das vendas de uma maneira ampla, além de identificar ações que possam otimizar os resultados. De forma resumida, ticket-médio é o valor, em média, que cada cliente gasta periodicamente em uma empresa, estabelecimento comercial ou e-commerce.

Ao obter dados sobre, por exemplo, qual vendedor está se sobressaindo nas vendas, é possível investigar os motivos que estão gerando os resultados positivos e implementar soluções práticas.

3. Taxa de sucesso em vendas

É o indicador que oferece auxílio aos empresários ou vendedores na hora de entender qual é o índice de vendas fechadas em cada negociação que é realizada.

Sua medição, em geral, é feita quando se estabelece uma relação entre a quantidade total de oportunidades que foram geradas em um determinado período e quantas vendas, de fato, foram concretizadas com sucesso.

4. Índice de “turnover” ou rotatividade

Representa a quantidade de funcionários que entram e saem da empresa durante um determinado período, mas também pode evidenciar outros aspectos do negócio, como uma baixa atratividade em relação à concorrência, por exemplo.

Nesse contexto, é importante reavaliar as estratégias já implementadas para não correr o risco de perder ótimos profissionais de vendas que integram o quadro de colaboradores.

5. ROI

Para finalizarmos, vale mencionar o ROI. Basicamente, ele comparar os valores investidos em melhorias nos processos de trabalho, como treinamentos ou marketing, por exemplo, e os resultados obtidos com essas ações.

Ou seja, ele é um dos indicadores de desempenho de gestão que é responsável pela relação entre investimentos, despesas e prejuízos financeiros, proporcionando informações úteis para melhorar as estratégias e direcionar corretamente os recursos da empresa. 

O conteúdo sobre os principais indicadores de desempenho de gestão foi útil para você? Então assine a nossa newsletter para receber todas as postagens semanais e se manter por dentro das maiores novidades do mundo das vendas!

Saiba Mais

5 técnicas de vendas diretas para utilizar

Aumentar o lucro por meio das vendas é um objetivo que todos os donos de negócio têm em comum. Afinal, para que a empresa seja bem-sucedida no mercado, tenha uma marca consolidada e alcance suas metas, vender mais é fundamental. E, para isso, é necessário que sua equipe comercial conheça técnicas de vendas diretas.

Afinal, uma venda não acontece quando o vendedor simplesmente tem “sorte” ou uma lábia muito boa, e sim por saber aplicar as técnicas certas, que convencem o cliente a comprar o seu produto na hora em vez de dizer que “vai pensar” e nunca mais voltar.

Por isso, é importante treinar o seu time para que as vendas aumentem. Trazemos aqui neste artigo 5 técnicas matadoras que farão com que ele venda mais e melhor.

1. Acreditar no produto

Sabe quem deve ser o fã número um do seu produto? Não, não é o cliente e sim o vendedor. Para oferecê-lo ao público, é essencial que ele conheça todas as características que o produto tem e, acima de tudo, acredite em sua funcionalidade.

Dessa forma, o vendedor poderá transmitir essa confiança enquanto atende o cliente e faz a oferta. Portanto, permita que ele ou pessoas próximas usem o produto para que seu entendimento e credibilidade na hora de vender sejam maiores.

2. Ter um rapport com o cliente

Rapport nada mais é do que uma ligação empática com a outra pessoa. Mesmo que o perfil do vendedor seja muito diferente dos seus clientes, reproduzir a forma como eles falam e conhecer o que eles gostam criará uma empatia e, em seguida, uma confiança maior no seu vendedor. E as pessoas compram somente de quem elas confiam.

Você sabe qual é o perfil de cliente que seu negócio atende? Quais são seus gostos, faixa etária, que lugares frequenta, que tipo de linguagem usa ao falar? Saber isso tudo é de extrema importância na hora da venda para criar um rapport.

3. Oferecer o que o cliente busca

Toda vez que um cliente faz uma compra, existe uma razão por trás dela. Por exemplo: quando uma mulher compra um item de cosmético para uso pessoal, sua intenção costuma ser se sentir bonita e bem consigo mesma.

Por mais que seu produto seja maravilhoso, mesmo que ele esteja com uma oferta imperdível e por tempo limitado, o cliente só vai comprar quando perceber que o produto vai entregar aquilo que ele tanto procura.

Por essa razão, o bom vendedor deve fazer perguntas ao cliente a fim de descobrir o que ele está buscando e alinhar isso à oferta no processo de venda. Dizer o mesmo que o cliente também funciona muito bem, tanto que é a quarta técnica.

4. Usar as palavras do cliente ao aplicar técnicas de vendas diretas

Uma vez que seu representante de vendas tenha construído rapport e entendido o que o cliente tanto procura no produto, é importante que, durante a oferta, ele use o mesmo discurso do cliente.

Por exemplo: um homem chega a uma loja procurando um perfume que seja suave, porém marcante. O vendedor, então, pode dizer: “Este perfume é o ideal, pois tem suavidade em sua fragrância e, além disso, as pessoas que sentem o seu cheiro jamais esquecem”.

5. Contornar as objeções no fechamento

“Vou pensar e, qualquer coisa, volto” é a expressão mais temida por quem trabalha com vendas. Os vendedores medianos pensam que a venda acaba por aí, mas o bom vendedor sabe que ela começa verdadeiramente nessa hora de contornar a objeção.

O primeiro passo é descobrir o que impede a pessoa de comprar e, então, tirar a objeção do caminho. Por exemplo:

Cliente: Preciso pensar.

Vendedor: Entendo. Mas você vai pensar em quê?

Cliente: Se compro aqui ou na outra loja. Lá é mais barato.

Vendedor: Se eu cobrir o preço deles, você compra agora?

Assim, seguindo essas técnicas de vendas diretas, o time comercial conseguirá vender mais. Aliás, o seu já utiliza alguma delas? Deixe um comentário e conte-nos como tem sido a sua experiência.

Saiba Mais

5 técnicas de vendas diretas para utilizar

Aumentar o lucro por meio das vendas é um objetivo que todos os donos de negócio têm em comum. Afinal, para que a empresa seja bem-sucedida no mercado, tenha uma marca consolidada e alcance suas metas, vender mais é fundamental. E, para isso, é necessário que sua equipe comercial conheça técnicas de vendas diretas.

Afinal, uma venda não acontece quando o vendedor simplesmente tem “sorte” ou uma lábia muito boa, e sim por saber aplicar as técnicas certas, que convencem o cliente a comprar o seu produto na hora em vez de dizer que “vai pensar” e nunca mais voltar.

Por isso, é importante treinar o seu time para que as vendas aumentem. Trazemos aqui neste artigo 5 técnicas matadoras que farão com que ele venda mais e melhor.

1. Acreditar no produto

Sabe quem deve ser o fã número um do seu produto? Não, não é o cliente e sim o vendedor. Para oferecê-lo ao público, é essencial que ele conheça todas as características que o produto tem e, acima de tudo, acredite em sua funcionalidade.

Dessa forma, o vendedor poderá transmitir essa confiança enquanto atende o cliente e faz a oferta. Portanto, permita que ele ou pessoas próximas usem o produto para que seu entendimento e credibilidade na hora de vender sejam maiores.

2. Ter um rapport com o cliente

Rapport nada mais é do que uma ligação empática com a outra pessoa. Mesmo que o perfil do vendedor seja muito diferente dos seus clientes, reproduzir a forma como eles falam e conhecer o que eles gostam criará uma empatia e, em seguida, uma confiança maior no seu vendedor. E as pessoas compram somente de quem elas confiam.

Você sabe qual é o perfil de cliente que seu negócio atende? Quais são seus gostos, faixa etária, que lugares frequenta, que tipo de linguagem usa ao falar? Saber isso tudo é de extrema importância na hora da venda para criar um rapport.

3. Oferecer o que o cliente busca

Toda vez que um cliente faz uma compra, existe uma razão por trás dela. Por exemplo: quando uma mulher compra um item de cosmético para uso pessoal, sua intenção costuma ser se sentir bonita e bem consigo mesma.

Por mais que seu produto seja maravilhoso, mesmo que ele esteja com uma oferta imperdível e por tempo limitado, o cliente só vai comprar quando perceber que o produto vai entregar aquilo que ele tanto procura.

Por essa razão, o bom vendedor deve fazer perguntas ao cliente a fim de descobrir o que ele está buscando e alinhar isso à oferta no processo de venda. Dizer o mesmo que o cliente também funciona muito bem, tanto que é a quarta técnica.

4. Usar as palavras do cliente ao aplicar técnicas de vendas diretas

Uma vez que seu representante de vendas tenha construído rapport e entendido o que o cliente tanto procura no produto, é importante que, durante a oferta, ele use o mesmo discurso do cliente.

Por exemplo: um homem chega a uma loja procurando um perfume que seja suave, porém marcante. O vendedor, então, pode dizer: “Este perfume é o ideal, pois tem suavidade em sua fragrância e, além disso, as pessoas que sentem o seu cheiro jamais esquecem”.

5. Contornar as objeções no fechamento

“Vou pensar e, qualquer coisa, volto” é a expressão mais temida por quem trabalha com vendas. Os vendedores medianos pensam que a venda acaba por aí, mas o bom vendedor sabe que ela começa verdadeiramente nessa hora de contornar a objeção.

O primeiro passo é descobrir o que impede a pessoa de comprar e, então, tirar a objeção do caminho. Por exemplo:

Cliente: Preciso pensar.

Vendedor: Entendo. Mas você vai pensar em quê?

Cliente: Se compro aqui ou na outra loja. Lá é mais barato.

Vendedor: Se eu cobrir o preço deles, você compra agora?

Assim, seguindo essas técnicas de vendas diretas, o time comercial conseguirá vender mais. Aliás, o seu já utiliza alguma delas? Deixe um comentário e conte-nos como tem sido a sua experiência.

Saiba Mais

Entenda como escolher fornecedores ideais para o seu negócio

Saber como escolher fornecedores é essencial para que seu negócio avance, otimizando os lucros e evitando possíveis prejuízos. Caso a empresa contratada atrase ou não tenha a qualidade esperada você terá problemas com seus clientes ou parceiros, dificultando a expansão da sua marca no mercado e o aumento das vendas.

Você não quer isso, não é mesmo? Por isso, é importante procurar por fornecedores que possam ajudar seu negócio. Neste post você verá quais são os principais passos para escolher as melhores empresas. Boa leitura!

Faça uma pesquisa consistente

Antes de tudo você deve considerar os fatores primordiais de gestão para o sucesso de um negócio de marketing multinível. Também é necessário observar quais são as opções que o mercado oferece. Somente assim você terá condições de fazer as melhores escolhas.

Então, evite escolher fornecedores somente por meio de indicações, uma vez que é importante ter vários dados a sua disposição para tomar uma decisão consciente. Para tanto, estabeleça quais são os atributos mais importantes para o produto ou o serviço contratado. Leve em conta:

  • qualidade;
  • preço;
  • prazo de entrega;
  • tamanho da empresa no mercado;
  • possibilidade de expansão;
  • número de reclamações.

Avalie o custo-benefício dos produtos e serviços

Um dos principais itens a ser considerado é o custo-benefício de determinado fornecedor. Avalie quais são os benefícios que cada empresa fornece para que você contrate seus serviços ou produtos.

Procure no mercado quais são os fornecedores que possuem mais diferenciais, capazes de ajudá-lo no funcionamento da sua empresa e na confecção dos produtos e serviços da sua marca.

Da mesma forma, saiba quais são os principais problemas das marcas encontradas. Verifique a quantidade de informações presentes em sistemas de relacionamento com o consumidor, além das redes sociais.

Por outro lado, deve-se, também, considerar o preço pedido por essas empresas. Nem sempre o que tem maior valor é melhor ou o que possui menor custo tem menos qualidade. Por isso, tanto a qualidade quanto o preço devem ser analisados de forma conjunta, evitando uma análise superficial dos fornecedores.

Outro detalhe importante é observar quais são os prazos de entrega. Veja agora como planejar isso.

Observe o prazo de entrega e a relevância do fornecedor

Na organização dos seus fornecedores observe quais são os prazos de entrega divulgados e veja se eles estão em acordo com o que você deseja.

Acima, você já viu que a reputação das empresas é importante na hora de decidir. Observe, também, a relevância que os fornecedores possuem com o mercado desejado.

Veja se eles já fornecem serviços para mercados como o seu, além de entender se estão prontos para aumentos repentinos de demanda. Esse ponto é muito importante: caso sua empresa tenha uma grande repercussão no mercado, você precisará de mais materiais em menos tempo.

Para que seu negócio cresça e atraia mais colaboradores, você deverá ter uma equipe preparada e disposta a fazer do seu projeto uma realidade. Por isso, entender como escolher seus fornecedores é fundamental para que seu negócio cresça.

Se deseja mais informações para fazer sua empresa decolar, leia também este post com dicas para escalar seu negócio de maneira rápida. Esperamos por você!

Saiba Mais
Cancelar