Mercado
categoria

UP! Essência é a primeira empresa de MMN do Brasil a conquistar 10 anos de existência

A marca UP! Essência é a primeira empresa de Marketing Multinível do Brasil a conquistar 10 anos de existência.

A UP! Essência é uma empresa que promove o Marketing de Relacionamento Responsável, estratégia de vendas diretas que não para de crescer no mundo todo, sendo um modelo de negócio acessível a todos, sem distinção de idade, classe social ou nível de estudos.

Saiba Mais

O Dia dos Namorados movimentará aproximadamente R$1,75 bi em E-Commerce esse ano.

O monitoramento da Ebit, empresa referência em informações sobre o varejo eletrônico, aponta que o e-commerce deverá faturar R$1,75 bilhão no Dia dos Namorados em 2017, crescimento de 6% ante o mesmo período de 2016. A expectativa é de 4,180 milhões de pedidos, com tíquete médio de R$418.

A data está entre as cinco mais importantes do calendário nacional do varejo eletrônico, celebrada em 12 de Junho.

“Apesar do aumento da instabilidade política, a economia permanece dando sinais de controle da inflação e melhores condições de crédito, por isso a expectativa para o e-commerce é positiva. O e-consumidor deverá ir além da ‘lembrancinha’ neste ano e investirá em itens de tíquete médio mais alto para presentear, como smartphones, tênis e perfumes”, afirma Pedro Guasti, CEO da Ebit.

Saiba Mais

Ebit: E-commerce registra faturamento de R$ 1,9 bi no Black Friday

Registro de Faturamento

e-commercebrasil: O e-commerce faturou R$1,9 bilhão no Black Friday 2016, alta de 17% na comparação com 2015, segundo dados finais divulgados pela Ebit na tarde deste sábado (26). O número de pedidos cresceu 5%, para 2,23 milhões, enquanto o tíquete médio foi de R$653, 13% maior do que no ano passado.

O estudo leva em conta as compras feitas entre às 0h e 23h59 desta sexta-feira (25) nas cerca de 22 mil lojas cadastradas no sistema – por isso, os dados do mercado como um todo devem ser ainda maiores.

Somado ao faturamento das últimas quatro horas de quinta-feira (24), quando as principais lojas e-commerce iniciaram suas promoções, o faturamento saltou para R$2,06 bilhões, em linha com a previsão da Ebit, de R$2,1 bilhões para a edição de 2016.

Os varejistas se prepararam antes e anteciparam muitos descontos das categorias mais buscadas pelos consumidores. Isso acelerou parte das vendas para a quinta-feira, mas os picos de consumo continuaram acontecendo na madrugada de sexta-feira, especialmente entre às 0h e 1h.
– Pedro Guasti, CEO da Ebit.

Segundo Guasti, a data parece se consolidar no comércio brasileiro e atraiu ainda mais clientes para o e-commerce. “O Black Friday está cada vez mais consolidada no calendário brasileiro do varejo. O crescimento do número de e-consumidores ativos subiu 17%, para 1,955 milhão, dos quais 281.264 usuários novos que fizeram sua primeira compra na internet”, pontuou o CEO da Ebit, Pedro Guasti.

Tíquete

A alta no tíquete médio deve-se principalmente à maior participação de itens de maior valor agregado, porém potencializou uma mudança de comportamento do consumidor. “A crise econômica acabou ajudando a atrair novos consumidores que antes compravam produtos de maior valor agregado somente no varejo físico”, afirmou Guasti.

Na opinião do CEO, o bom desempenho do Black Friday deve refletir-se também nas vendas do final de semana e na segunda-feira, conhecida como “Cyber Monday”. “A tendência é que os varejistas que ainda possuem estoque prolonguem suas promoções, praticando descontos semelhantes aos concedidos na noite de quinta-feira (24) e sexta-feira (25)”, concluiu.

Confira o ranking das cinco categorias mais vendidas durante o Black Friday 2016, em volume de pedidos:

1º – Eletrodomésticos
2º – Telefonia/Celulares
3º – Moda e acessórios
4º – Eletrônicos
5º – Informática

Confira o ranking das cinco categorias mais vendidas durante a Black Friday 2016, em volume financeiro:

1º -Eletrodomésticos
2º -Telefonia/Celulares
3º – Eletrônicos
4º – Informática
5º – Casa e Decoração

Fonte: ecommercebrasil

Saiba Mais

Correio Braziliense: Mercado brasileiro em 2016 deve movimentar R$ 42,7 bilhões

Esse mês o Correio Braziliense promoveu o seminário Debate Empreendedorismo: A força da venda direta no Brasil. 

O evento apresentou temas que abordaram os impactos socioeconômicos da venda direta, as legislações trabalhista e tributária, além da venda direta como oportunidade para todos.

Com a participação do ministro do TSE Ives Gandra Filho e Guilherme Augusto Caputo; David Legher, presidente da Avon, André Spínola, do Sebrae; Luiz Carlos Hauly deputado federal; Ana Fontes fundadora da Rede Mulher Empreendedora; Roberta Kuruzu diretora executiva da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas.


Pesquisa mostra que, em média, ganhos representam 28% do orçamento familiar dos empreendedores.

Com um faturamento estimado para 2016 de R$ 42,7 bilhões, o setor de venda direta responde por 8% do PIB da indústria de transformação. Esse volume de dinheiro é gerado por um exército de 4,6 milhões de brasileiros e brasileiras que fazem da atividade a principal fonte de renda ou um complemento ao orçamento familiar.

Saiba Mais

Indústria de cosméticos para homens surpreende à crise e cresce

Os homens estão consumindo e cuidando mais da aparência. As prateleiras para a sessão masculina, agora tem muitos mais do que apenas pincel e barbeador.

A cada 15 dias eu compro alguma coisa para mim e meus filhos.

– Alexandre, consumidor.

Aquela mania de usar shampoo para cabelos lisos e cacheados só por que é o único que tem no banheiro é coisa do passado.

A vaidade hoje em dia não é mais vista como um defeito e cuidar do cabelo e da pele virou rotina, basta entrar em uma barbearia para ver que a imagem que o homem faz desse tipo de cuidado pessoal está bem mais caprichada.

Pesquisa

De 2014 para 2015 na linha masculina cresceu mais 2,4%. A ABIHPEC (Associação Brasileira de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos) fez uma pesquisa para entender e aproveitar melhor essa mudança. Entrevistou 425 homens das classes A, B e C. 45% se declararam “super vaidosos”, 34% passam creme hidratante, 26% usam protetor solar diariamente.

A pesquisa mostrou também que os jovens de 14 a 20 anos são os que mais dão importância para os produtos de beleza.

O que é fantástico você projetar esse mercado para os próximos 10 anos, você vê uma perspective de um mercado que vai quase explodir!

– Carlos Basilio, presidente da ABIHPEC

A participação de produtos voltados para homens no mercado passou de 10% em 2014 para 19% em 2015.

Reportagem

Veja o video da reportagem completa no site do Globo.com

Fonte: G1 | Bom dia Brasil

Saiba Mais
Cancelar